SAÚDE COLETIVA

INTRODUÇÃO

            “Saúde coletiva é a ciência e a arte de evitar doenças, prolongar a vida e desenvolver a saúde física e mental e a eficiência, através de esforços organizados da comunidade, para o saneamento do meio ambiente, o controle de infecções na comunidade, a organização de serviços médicos e paramédicos para diagnóstico precoce e o tratamento preventivo de doença, e o aperfeiçoamento da máquina social que irá assegurar a cada indivíduo, dentro da comunidade, um padrão de vida adequado à manutenção da saúde”. (WINSLOW, apud ROUQUAYROL, 1999, p. 522).

            Saúde Coletiva é a ciência e a arte de prevenir doenças, prolongar a vida e promover, proteger e recuperar a saúde física e mental, com medidas de alcance coletivo e de motivação da população. A saúde coletiva utiliza um grande grupo de profissionais, que inclui médicos sanitaristas, dentistas, psicólogos, nutricionais, arquitetos, engenheiros, educadores, veterinários, administradores hospitalares, estatísticos, sociólogos, economistas, entre outros. A promoção e a manutenção da saúde coletiva requer métodos especiais de coleta de informações (epidemiologia). Os dados coletados pelos epidemiologistas tentam descrever e explicar a ocorrência de doenças numa população mediante sua correlação com fatores como regime alimentar, meio ambiente, radiação e fumo. As leis e regulamentos sanitários se destinam a garantir condições de vida saudáveis à população. Esses códigos permitem supervisionar e inspecionar o abastecimento de água, o processamento de alimentos, o tratamento de esgotos e a qualidade do ar.