EFEITOS DO FRIO E CALOR 


Insolação e intermação

          Ambas são agressões ao organismo causadas pela ação prolongada do calor, sendo que a insolação se deve à ação direta dos raios solares sobre a pessoa, enquanto a intermação ocorre com a ação do calor, tanto de origem solar indireta ( locais abrigados ), quanto por outras fontes, como aquecedores, saunas, fundições, caldeiras. Ocorrem sobretudo após esforços musculares intensos. São mais sensíveis a estas condições as crianças, especialmente os bebês, idosos, gestantes, trabalhadores em áreas expostas ao calor seco ou ao calor úmido com baixa ventilação, pessoas usando roupas pesadas ou que retenham a umidade ou até pessoas na praia, por muito tempo sob o guarda-sol em horários de pico. 

Manifestações bruscas  

-   intensa falta de ar; às vezes a vítima parece sufocada, com a respiração acelerada e difícil;  

-   a vítima cai, fica desacordada e pálida;  

-   temperatura elevada do corpo e extremidades;  

-   extremidades arroxeadas. 

Manifestações lentas:   

-  dor de cabeça;  

-   náuseas e vômitos;  

tonturas;

-   rosto avermelhado;  

-  pele quente e seca;  

-   não há suor, ou a sudorese é retida nas vestimentas, criando um micro-clima úmido;  

pulso rápido;

-  temperatura elevada do corpo e extremidades;  

-   podem ocorrer concomitantemente queimadura e desidratação pela perda de sais no suor, ou em casos mais intensos, convulsões e mesmo a morte. 

Providências:   

-   coloque o paciente em lugar fresco e ventilado, se possível com sombra, ou em ambiente refrigerado;  

-   mantenha a cabeça do paciente mais alta do que o corpo;  

-   retire a roupa que for possível e afrouxe ou abra as restantes;  

-  aplique compressas frias na cabeça, pescoço, abdome e demais dobras;  

-  dar líquidos abundantemente, com exceção de bebidas alcoólicas;  

-   friccione e eleve pés e pernas;  

-  mantenha o paciente em repouso até a normalização dos sintomas;

converse com a vítima para manter-se informado do seu estado de consciência.   

Prevenção:   

use proteção na cabeça e na nuca ao estar ao sol. Aplique protetor solar 30 minutos antes de expor-se ao sol;  

use roupas folgadas e de cores claras;  

-   alimentação leve com hortaliças e frutas. Beba muita água, sucos de frutas, aproximadamente 3 litros por dia  

evite trabalhos expostos ao sol nas horas de muito calor, entre 10horas e 16 horas  

-   planeje atividades em ambientes ventilados ou em espaços arborizados 

Queimaduras 

         Queimaduras são lesões produzidas por ação de agentes físicos térmicos ( frio ou calor ), tais como eletricidade, raios solares, fogo, vapores; ou agentes químicos ( produtos corrosivos ). Qualquer queimadura, mesmo as mais simples como a causada pelos raios solares, podem complicar, levando a um estado de choque; por isso merece tratamento cuidadoso. Os objetivos principais do tratamento são os seguintes:   

Interromper o ciclo de agressão ao organismo;

-  Evitar o estado de choque;

Evitar contaminação;  

Controlar a dor;  

Encaminhar o paciente estabilizado para controle médico, com o objetivo de prevenir as conseqüências da queimadura.

Conduta Imediata:   

Retirar a pessoa do contato com a causa da queimadura.Se os causadores forem agentes químicos, lavar a área queimada com bastante água à temperatura ambiente, retirando da vítima a roupa que tenha entrado em contato com a substância.Se o agente é o fogo, apagar de forma adequada ( extintor apropriado, areia ou água ) ou abafar com um cobertor.Retirar objetos que estejam em contato com a pele desde que não estejam grudados ( relógios, anéis, pulseiras ). Nas queimaduras por eletricidade, desligar a corrente elétrica na chave geral; se não for possível, mova a vítima sem contato direto com ela, separando-a do contato elétrico através de um material que não conduza eletricidade (cinto de couro, madeira ).  -   Verificar sinais vitais e nível de consciência.  

Prosseguir interrompendo o ciclo de agressão, mergulhando apenas a área afetada em água limpa até aliviar a dor; ou removendo a substância química que esteja agredindo a pele. Preferir água parada, pois água corrente pode agravar a dor devido ao atrito.Caso nada disso seja possível, deve-se aplicar compressas frias e úmidas, trocadas de três em três minutos. Não furar as bolhas nem retirar roupas aderidas a pele.  

Se a pessoa estiver consciente, sem náuseas ou vômitos, iniciar o combate a desidratação e ao choque, dando-lhe toda a água que conseguir beber.  

Evitar a queda da pressão arterial, deitando a vítima e mantendo-a assim até ser transportada. Colocar a cabeça e o tórax do paciente um pouco mais baixos que o restante do corpo. Elevar braços e pernas da vítima, o que diminuirá a chance de retenção de líquido fora das partes vitais do corpo.  

Combater o choque neurogênico ( causado pela dor ). O controle da dor liga-se também à recuperação, já que ela diminui a ação dos sistemas de defesa do organismo e atrasa a cicatrização, por aumentar os gastos de energia do paciente.  

Evitar a contaminação, não aplicando substâncias estranhas e utilizando panos e compressas limpas e água pura no atendimento da queimadura. 

Primeiro grau: 

         Lesão superficial, provocando inchaço e vermelhidão da pele, que pode iniciar quase de imediato nos casos de agentes físicos, e que se intensifica até 12 a 24 horas após a queimadura. Declina então e dá lugar a uma coloração vermelho escura, a qual pode descamar depois de três a sete dias, com coceira ou não, sem formar bolhas. Costuma ocorrer muita dor, mesmo em repouso. 

Segundo grau:        

         Lesão mais profunda, provoca a formação de bolhas sobre a base avermelhada do primeiro grau. Estas aparecem desde pouco depois da agressão térmica até 12 horas depois. Formam-se com líquido de cor clara e que pode turvar-se em caso de infecção. Ocorrendo muitas bolhas ou lesões extensas, pode haver perda importante de líquido nessas áreas. Os sintomas persistem por mais tempo que no primeiro grau. A dor é mais intensa nas primeiras 24 horas e mantém-se até a recuperação parcial da pele. Pode ocorrer cicatriz em caso de infecção. 

Terceiro grau: 

         Toda a pele é afetada, sendo atingidos gordura, músculos, tendões e até órgãos internos. As lesões são profundas, formando tecido com necrose de coagulação, de coloração acastanhada a preta, com secreção ou não, endurecidas devido a coagulação dos tecidos. Devido a destruição dos filetes nervosos, a área com necrose dói pouco ou nada, sendo dolorosa a região circundante onde há queimaduras de outros graus. 

O que não se deve fazer:   

-   não fure as bolhas que se formarem; mesmo lesada, a pele da bolha ainda é uma proteção ao organismo;  

não tente retirar nada que tenha se grudado à pele; deixe que eles se desprendam com o resfriamento, ou posteriormente sejam retirados sob anestesia;  

não aplique pomadas, líquidos, cremes, pastas dentais, pó de café, óleo, manteiga ou outras substâncias sobre a queimadura;  

não demore a solicitar auxílio e transporte;  

não resfrie o paciente além do necessário, tente sempre resfriar apenas a área queimada, pois a diminuição geral da temperatura pode levar o paciente à hipotermia;  

não tente neutralizar a ação ácida ou alcalina das queimaduras químicas. 

Queimaduras por produtos químicos: 

         Aplicação de água na pele se reveste de importância ainda maior, tanto em quantidade ( remoção do produto ) como em rapidez ( diminuir a extensão da lesão ). Deve-se manter água correndo sobre o ferimento, mesmo enquanto a roupa é removida. Geralmente as lesões causadas por bases são mais graves do que as causadas por ácidos, porque penetram mais rápida e profundamente. 

Queimaduras por choques elétrico: 

         Pode levar a queimaduras locais de limites bem definidos ou de grande extensão, atingindo geralmente os tecidos mais profundos. Pode ocorrer parada respiratória por contrações dos músculos que participam da respiração. O acidente com eletricidade pode oferecer risco de vida também para quem tenta socorrer a vítima. Antes de tocá-la desligue a corrente elétrica na chave geral de força; se isso não for possível separe a vítima do contato com a corrente utilizando um mau condutor de eletricidade ( cabo de vassoura, pedaço de tecido forte, cinto de couro ). Se a vítima apresenta parada respiratória ou cardiorrespiratória, efetuar atendimento de reanimação. 

Algumas noções importantes:   

- conscientizar-se de que a cozinha é um dos lugares mais perigosos da casa, requer atenção redobrada em presença de outras pessoas, sobretudo crianças;  

- cozinhar preferencialmente nas bocas de trás do fogão, mantendo as panelas com os cabos para dentro, de modo que as crianças não consigam alcançá-los mesmo que acidentalmente;  

-   não estoque alimentos em armários próximos ao fogão, porque as crianças podem tentar usá-lo como degrau;  

-   mantenha o fogão nivelado para evitar o derramamento de líquidos e ensine as crianças a não abrirem a tampa do forno;  

-   não coloque líquidos quente próximo da quina da mesa ou da pia, evitando assim que seja atingido involuntariamente;  

-   cuidado no transporte de líquidos quentes para não colidir com outras pessoas;  

-   mantenha fósforos e isqueiros fora do alcance de crianças;  

-   instale cuidadosamente o gás e troque periodicamente suas mangueiras condutoras, se sentir cheiro de gás ou suspeitar de vazamento, abra janelas e portas para a entrada de ar fresco e chame o corpo de bombeiros, não acenda fósforo e nem ligue interruptor de energia elétrica;  

-   não use extensões elétricas de forma inapropriada, de modo a evitar sobrecarga de eletricidade, que pode dar origem a choques;  

-   verifique a temperatura da água do banho antes de colocar o bebê, comece com água fria e acrescente água quente até que atinja a temperatura desejada;  

-   ao aquecer a mamadeira, pingue algumas gotas no dorso da mão para verificar a temperatura;  

-   manuseie ítens quentes sob proteção. 

Queimaduras Solares 

Prevenção dos danos solares:   

-   evitar exposição ao sol no horário de emissão mais intensa de raios ultravioleta ( 9 às 16 horas ), planejando atividade protegidas do sol, tanto no trabalho como no lazer;  

-   utilizar proteção física ( bonés, chapéus e roupas leves que cubram ao máximo possível a pele exposta ao sol) e físico-química ( protetores solares de acordo com o tipo de pele );  

-   programe-se para exposição solar gradual, de modo a estimular suavemente a pigmentação da pele, aumente gradativamente as horas de exposição;  

-   mantenha hidratação cuidadosa, tanto oral ( com ingestão de muito líquido ) como cutânea ( através do uso abundante de cremes e loções ), faça-o antes e depois da exposição ao sol, para diminuir o risco de insolação;  

-   proteja também áreas especiais como lábios e orelhas;  

-   proteja os olhos usando óculos de sol que bloqueiem as radiações UVA e UVB

Hipotermia 

          Definida como injúria corporal devido ao frio. Difere do congelamento, que em geral ocorre em partes, sobretudo nas extremidades. A temperatura corporal abaixa dos 35°.

Ocorre quando o organismo perde mais calor do que produz. Deve-se a exposição ao frio intenso, ou à exposição contínua ao frio, ainda que moderado. Progride em estágios que, se não controlados, podem levar a vítima à morte.

São mais suscetíveis idosos, crianças, pessoas desidratadas ou alcoolizadas, pacientes com algum tipo de imobilização ou alterações de sensibilidade. Pode ocorrer em desportistas que sofram soterramento sob avalanche de neve e quando um ferido fica exposto muito tempo ao frio, vento e neve ou imerso em água gelada. 

Tratamento:   

-  retire a vítima da área exposta ao frio e ao vento, se possível transporte-a para local aquecido ou isole-a do chão se estiver ao ar livre;  

-   estimule-a a se movimentar para que produza calor;  

-   troque a roupa molhada por seca;  

-   aqueça a vítima gradualmente, envolvendo-a em cobertores e não friccionando nenhuma área, uma vez que o frio aumenta a fragilidade da pele; 

-   coloque tecidos aquecidos por bolsas de água quente na nuca, tronco e axilas;  

-    não proceda aquecimento acelerado, colocando-a em água morna, nem a ponha em contato com cobertores elétricos;  

-   inicie o aquecimento pela porção central do organismo ( tronco, pescoço, cabeça e pelve );  

-   só inicie alimentação depois que a vítima estiver completamente consciente, procure dar líquidos quentes de alto conteúdo energético;  

-   em casos mais graves aqueça a vítima com o seu próprio corpo, abraçando-a;  

-   transporte a vítima para local com melhor atendimento.