ESTADO DE CHOQUE


O estado de choque caracteriza-se por grave estado patológico que se  caracteriza fundamentalmente por sofrimento celular súbito, intenso, persistente e generalizado.

As causas podem ser várias: traumatismo externo ou interno, perfuração súbita de órgãos, emoção, frio, queimaduras, intervenções cirúrgicas, etc. Todo acidentado pode entrar em estado de choque, progressiva ou insidiosamente, nos minutos ou horas que se seguem ao acidente.

Tipos de choque

Choque Cardiogênico: é aquele caracterizado por diminuição da função miocardíaca, por exemplo, nos infartos do miocárdio, miocardites, insuficiência mitral, ICC em geral, arritmias (taquicardia paroxística ou fibrilação auricular, bradicardia grave).

Choque  Hipovolêmico: é aquele caracterizado por diminuição do volume sangüíneo, que pode ser por perdas extensas de líquido, como na hemorragia grave (Choque Hemorrágico), queimaduras extensas, intoxicação com diuréticos, diarréias intensas e vômitos (obstruções intestinais e estenose pilórica), ou por seqüestro interno: ascite, hemotórax e hemoperitônio.

Choque Distributivo: é aquele caracterizado por queda do tônus vasomotor, com expansão do leito vascular (vasodilatação) e hipovolemia relativa (retenção da volemia em vasos periféricos), como acontece nos traumatismos graves (Choque Traumático), depressão do SNC, dor intensa, bloqueadores ganglionares e anti-hipertensivos, retirada abrupta de líquido ascítico (dilatação vascular "ex-vácuo"), e infecções graves com bactérias gram positivas, por exemplo, (Choque Septicêmico).

Choque Misto: quando dois ou mais fatores atuam em conjunto.

Sinais e Sintomas

Taquicardia, palidez, olhos cianosados, suores frios, prostração, náuseas, pulso fraco, respiração artificial, inconsciência.

 

O que fazer

1. Se a vítima está consciente

 

2. Se a vítima não está consciente

·        Colocá-la em posição lateralizada

·        Transportá-la imediatamente para hospital

·        Não tentar dar de beber à vítima