POLITRAUMATISMOS


Traumatismos são lesões provocadas por forças externas, que podem ser tanto um objeto chocando-se contra o corpo humano, ou o corpo humano chocando-se contra um objeto.

Politraumatismos são lesões múltiplas de diversas naturezas que podem comprometer diversos órgãos e sistemas.

Princípios básicos do tratamento de emergência

Fazer uma avaliação rápida do estado geral do paciente, estabelecendo prioridade e dando atenção imediata àquele traumatismo que interfere nas funções vitais, podo em risco sua vida, estabelecendo a seguinte ordem:

-  Permeabilidade das vias aéreas (retirada de prótese);
-  Aspiração das secreções orofaríngeas;
-  Avaliação das possíveis lesões intratorácicas;
-  Colocação da cânula de guedell;
-  Entubação e uso de respirador;
-  Avaliação da função respiratória (ritmo,freqüência e movimento torácico);
-  Avaliação das funções cardio-circulatórias usando manobras de ressuscitação quando houver parada cardio-respiratória;
-  Controle da hemorragia. Se for detectada hemorragia interna, preparar o paciente para cirurgia;
-  Punção de veia para reposição das perdas sangüíneas e administração de medicamentos;
-  Preparação do material para flebotomia e PVC;
-  Sondagem vesical, se prescrita, para avaliação do débito urinário;
-  Controle rigoroso da administração e perda de líquidos, PVC e sinais vitais;
-  Avaliação de trauma crânio encefálico e outras lesões;
-  Imobilização das fraturas, observando as extremidades (coloração, temperatura e pulso);
-  Avaliação da ansiedade do paciente, orientando e esclarecendo sobre o seu estado, procedimentos e dúvidas.

Todos esses procedimentos são realizados já a nível hospitalar, sendo que os procedimentos de primeiros socorros a serem realizados no local do acidente são os seguintes:

Exame da vítima: É importante examinar a vítima por ocasião do socorro para que procure avaliar a probabilidade de certas lesões. Devendo-se observar:

·        Pulso: Quando a pulsação estiver abaixo de 60 batimentos/minuto pode indicar estado de choque. A ausência de pulsação pode indicar parada cardíaca, onde deverá ser feita a reanimação cardiopulmonar, imediatamente.

·        Respiração: Normalmente a respiração de um adulto é de 16 a 18 movimentos respiratórios por minuto, se a respiração estiver rápida e superficial pode indicar estado de choque, se profunda e penosa pode significar obstrução das vias respiratórias ou doença cardíaca. A ausência de respiração pode indicar parada respiratória, já a respiração com eliminação de sangue (boca ou nariz) e tosse podem indicar danos nos pulmões por fratura de costelas.

·        Pupilas: Pupilas contraídas podem indicar vício de drogas ou doenças que afetam o Sistema Nervoso Central, quando dilatadas podem significar estado de relaxamento e inconsciência. Essa dilatação pode ser devida a ataques cardíacos ou envenenamento por drogas ou álcool. As pupilas quando desiguais (anisocoria) denunciam traumatismos cranianos.

·        Cor da pele: A pele pálida ou acinzentada indica circulação insuficiente, a pele azulada ou arroxeada significa queda da oxigenação no sangue, podendo ocorrer nas paradas cardio-respiratórias, já a pele avermelhada pode indicar inicio de envenenamento por monóxido de carbono ou traumatismo craniano.

·        Estado de consciência: Pergunte a vitima onde está, nome, qual o dia da semana. Respostas erradas podem significar traumatismos cranianos e envenenamento.

·        Capacidade de movimentação: Paralisia de um dos lados do corpo, inclusive da face, pode indicar hemorragia cerebral ou intoxicação por drogas. Paralisia das pernas pode indicar fratura de coluna abaixo do pescoço, paralisia de braços e pernas pode denunciar fratura ao nível do pescoço.

·        Reação à dor: A incapacidade de movimentos geralmente esta associada à insensibilidade à dor. Queixa de torpor ou formigamento (parestesia) nas extremidades pode significar trauma na coluna.

·        Temperatura do corpo: Temperatura baixa (menos de 36 graus) pode indicar estado de choque, hemorragias, início de insolação, exposição prolongada ao frio. Temperatura acima do normal pode ser decorrente de febre ou de exposição a calor excessivo.

Observados todos os critérios acima descritos, é importante proceder à imobilização da vítima e aguardar a chegada de socorro, para que a mesma possa ser imediatamente transferida para o hospital.